PERFIL DOS GESTORES ATUANTES NO SEGMENTO DE ALIMENTOS & BEBIDAS DA REGIÃO NORTE DE FLORIANÓPOLIS/SC

Bruno D’ávila Azevedo Vieira, Deosir Flávio Lobo de Castro Júnior, Marcos Alexandre Schiavoni, Jean Carlos de Abreu, Flávio Augusto Martino

Resumo


O objetivo da presente pesquisa é de conhecer o perfil dos ocupantes de cargos de gestão no setor de Alimentos & Bebidas, com foco nos profissionais e estabelecimentos da região Norte de Florianópolis, mais precisamente na praia dos Ingleses do Rio Vermelho e proximidades. Para a consecução deste objetivo, foi delineada a pesquisa de natureza descritiva, fundamentado na teoria de segmentação demográfica (KOTLER, 2002) e Lei de Diretrizes e Bases (Brasil, 1996). Por meio da abordagem qualitativa e quantitativa, com uma amostra por conveniência, e não probabilística, foram levantados os dados por meio da ferramenta de questionário (survey). Com isso, percebeu-se que são poucos os formados nos cursos de Tecnologia em Gastronomia que estão à frente da gestão, que os ocupantes dos cargos de gestão são predominantemente são homens, com idade media acima de 30 anos ou mais, e com o ensino médio completo.


Texto completo:

PDF

Referências


ANSARAH, M.G.R. Formação e capacitação do profissional em Turismo e Hotelaria: reflexões e cadastro das instituições educacionais no Brasil. São Paulo: Aleph, 2002.

BABBIE, E. R. Métodos de pesquisas de survey. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1999.

BRASIL - Lei de Diretrizes e Bases - Lei 9394/96 | Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/ 109224/lei-de-diretrizes-e-bases-lei-9394-96#art-43( acesso em 01/05/2015)

BRASIL - Resolução CNE/CP nº 1, de 30 de maio de 2012 - Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Acesso em 26/11/2015.

CASTRO JÚNIOR, D. F. L.; SILVEIRA-MARTINS, E.; MIURA, M. N.; DELUCA, M. A. M.; COSTA, A.M. ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA: ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE COORDENADORES DE CURSO DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA FEDERAL. Revista Gestão Universitária na América Latina - GUAL, v. 8, p. 48-69, 2015.

CASTRO JÚNIOR, D. F. L.; SILVEIRA-MARTINS, E.; MIURA, M. N.; SCHIAVONI, M. A.; DELUCA, M.A. M. CONSIGNAÇÃO DE ESTRATÉGIAS A PARTIR DA ANÁLISE AMBIENTAL: um estudo de caso do Grupo JAN Bebidas. Navus - Revista de Gestão e Tecnologia, v. 4, p. 143-154, 2014.

CASTRO JUNIOR, D. F. L; DELUCA, M.A; MIURA, M. N; SILVEIRA MARTINS, E; MARTINS, A. A. M; SILVERIO, R. Analysis of the organic fruit and vegetable Stakeholders in Florianópolis. Espacios, v. 37, n. 3, 2016.

CASTRO, S. A.; CAZARINI, E. W. Um modelo de mudança organizacional contínua através da gestão do conhecimento integrando tecnologia da informação e pessoas. Revista Gestão Industrial, v. 1, n. 4, p. 18-25, 2005.

CASTRO; C. M. A prática da pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1976.

COOPER, C. et al. Turismo: princípios e práticas. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.

CORNACHIONE JÚNIOR, E. B; CUNHA, J. V. A.; LUCA, M. M. M.; OTT, E. O bom é meu, o ruim é seu: perspectivas da teoria da atribuição sobre o desempenho acadêmico de alunos da graduação em ciências contábeis. Revista Contabilidade & Finanças. v. 21, n. 53, 1-24, 2010.

DALFOVO, M. S.; MACHADO, M. M.; WRUCK, J.; SILVA, G. V. Análise da disponibilidade dos recursos organizacionais no atendimento aos stakeholders no setor de serviços. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, v.9, n.1, p.87-104, 2015.

DE LUCCA FILHO, V. O futuro do turismo em Santa Catarina: 2014. Disponível em: http://floripamanha.org/2014/07/o-futuro-do-turismo-em-santa-catarina/#sthash.8oUUBrsG.dpuf. Acesso em 26/11/2015.

DEMO, P. Pesquisa e construção de conhecimento. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

FERRARESI, A. A.; SANTOS. S. A.; QUANDT, C. O.; FREGA, J. R. Os impactos da gestão da conhecimento na orientação estratégica, na inovatividade e nos resultados organizacionais: uma survey com empresas instaladas no Brasil. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 15, p. 199-231, 2014.

FREEMAN, R. E. Strategic Management: a Stakeholder Approach. Boston: Pitman. 1984. Disponível em: . Acesso em 20/12/2016.

GARDELIN, J. P.; ROSSETTO, C. R.; VERDINELLI, M. A. O relacionamento entre a incerteza ambiental e o comportamento estratégico na percepção dos gestores de pequenas empresas. Revista de Administração (FEA-USP), v.48, n.4, p.702-715, 2013.

GIL, A. C. Método e técnicas de pesquisa social. 5ª Edição. São Paulo. Editora Atlas S.A. 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. Sao Paulo: Atlas, 2002.

GONÇALO, C. R. Barreiras cognitivas: uma perspectiva decisiva para promover estratégias de conhecimento no desempenho da atividade organizacional. Revista Produto & Produção, v. 8, n. 2, p. 25-36, 2005.

IBGE - Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil - Brasil - 2011

IBGE - Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: Despesas, Rendimentos e Condições de Vida - Brasil - 2010.

IBGE - Censo 2010. Disponível em http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=42&dados=29 acesso em: 27/12/2016

INEP – INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA.

Censo da educação superior 2012: resumo técnico. Brasília: INEP, 2014. Disponível em: . Acesso em: 27/12/2016.

KOTLER, P. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.

LAGES, L. F.; SILVA, G.; STYLES, C. Relationship Capabilities, Quality, and Innovation as Determinants of Export Performance. Journal of International Marketing, v. 17, n. 4, p. 47–70, 2009.

LEE, H.; KELLEY, D. Building dynamic capabilities for innovation: an exploratory study of key management practices. R&D Management, v. 38, n. 2, 2008.

LOPES, S. D. F.; MAIA, S. C. F. Segmentação do mercado turístico através do Multidimensional Scaling: Uma aplicação do modelo Unfolding. PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural. v. 10, n 1 p. 139-145, 2012.

MAPURUNG, P. V. R.; CORREIA-LIMA, B. C.; HOLANDA, A. P. DISCLOSURE SOCIAL E ISOMORFISMO NAS EMPRESAS LISTADAS NO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Revista de Administração da UFSM, v. 8, n. 2, p. 267-281, 2015.

MEC - Resolução CNE/CP nº 1, de 30 de maio de 2012 - Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos.

MINASSE, M. H. S. G. G. A formação superior em gastronomia: análise descritiva das dissertações de mestrado produzidas no Brasil. 2012 Disponivel em: http://rbtur.org.br/rbtur /article /view/703 Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo e-ISSN: 1982-6125 acesso em : 26/11/2015

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento. São Paulo: Hucitec,1993.

MORESI, E. Metodologia da Pesquisa. Brasília: 2003.

OLIVEIRA, D.; SILVA, M. P.; LIMA,T. A.; SOUZA, M. M. M. Um estudo exploratório da gestão de pessoas na integração e disseminação da Governança Corporativa. Revista Acadêmica, n. 16, p. 241-268, 2015.

OLIVEIRA, J.; PINHEIRO, M. & GAIO, C. Análise da organização do turismo em Florianópolis. Turismo Visão e Ação, v 9, p. 51-60, 2002.

OLIVEIRA, L. C. P.; DINIZ, E. H. Sistemas de informação em políticas sociais descentralizadas: uma análise sobre a coordenação federativa e práticas de gestão. Rev. Adm. Pública. n. 49, v. 1, p. 23-46, 2015.

ONUSIC, L. M. A qualidade de serviços de ensino superior o caso de uma Instituição de Ensino Público. In: ENCONTRO DA ANPAD – ENANPAD, 35, 2011. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD. 2011.

PPC/IFSC – PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO – PPC CAMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GASTRONOMIA Eixo Tecnológico: TURISMO, HOSPITALIDADE E LAZER Florianópolis,Formulário PPC - cursos de graduação – atualização 18 jun 2014.

PPC/IFSC – PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO: PPC CAMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GASTRONOMIA Eixo Tecnológico: TURISMO, HOSPITALIDADE E LAZER Florianópolis, julho de 2012

SANCHO, A. Introdução ao turismo. Traduzido por Dolores Martin Corner. São Paulo: Roca, 2001.

SILVA, G. L.; LIMA, L. F.; LOURENÇO, N. S. FOOD TRUCK NA CIDADE DE SÃO PAULO E A INFLUÊNCIA DO PERFIL DO CONSUMIDOR EM SUA LONGEVIDADE: ASPECTOS SÓCIOCULTURAIS. Revista FATEC Zona Sul, v.2, n.1, 2015.

SILVA, J. D. Mensuração do nível de percepção da incerteza subjetiva dos empreendedores de MPEs brasileiras. RAIMED - Revista de Administração IMED, v. 5, n. 1, p. 1-9, 2015.

VELASCO, H. ; DÍAZ DE RADA, A. La lógica de la investigación etnográfica. Un modelo de trabajo para etnógrafos de la escuela. Madrid: Trotta, 1997.

VERGARA, S. C. Gestão de pessoas. 2.ed. Sao Paulo: Atlas, 2000

WHA - WORLD HEALTH ASSOCIATION. Division of Mental Health. Qualitative Research for Health Programmes. Geneva: 1994. Diponível em: http://ocw.library.nenu.edu.cn/pluginfile.php/13620/mod_resource/content/1/WHO_MNH_PSF_94.3.pdf. Acesso: 12/12/2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Eletrônica Científica do CRA-PR - RECC

##submission.license.cc.by4.footer##